Pular para o conteúdo

Penitenciária de Sinop se destaca pelos projetos de ressocialização

Elisete Mengatti

A entrega de certificados a 16 reeducandos do presídio Osvaldo Florentino Leite (Ferrugem), em Sinop, marcou o encerramento do curso vinculado ao projeto Sinop Bola.//

Este é um dos inúmeros projetos desenvolvidos na unidade prisional, numa parceria entre poder público e comunidade que se uniram por meio do Conselho da Comunidade criado por lei com a finalidade de fomentar a ressocialização dos detentos.//

Compõe o conselho, a Sesp - a Secretaria de Estado de Segurança Pública, Ministério Público, Defensoria Pública, Poder Judiciário, Prefeitura Municipal e entidades da sociedade civil.//

Através do curso, além de confeccionar bolas e redes os reeducandos visualizaram um novo caminho a ser seguido, longe da criminalidade./ Para Jeferson Santos do Nascimento, além a produção e da redução da pena a oportunidade e a esperança de um futuro diferente mostra a importância que tem o projeto.//

Sonora – Jeferson do Nascimento

Durante as 40 horas/aula do curso Sinop Bola, foram confeccionadas 250 que já tem venda garantida para a Prefeitura Municipal./ Parceira no projeto, a secretária de Educação do Município Meridiana Paganotti, destacou a qualidade do produto e o interesse na aquisição.//

 Sonora - Meridiana Paganotti

Outro projeto desenvolvido pelo sistema penitenciário com a Secretaria de Educação de Sinop é o Escola Limpa./ Através deste projeto, cerca de 20 reeducandos trabalham durante todo o dia de sábado na limpeza e pintura de escolas municipais./ Além de contribuir com a comunidade ele é beneficiado com o regime de progressão de pena.//

Outro projeto que serve de modelo para outras unidades prisionais é a cantina existente no Ferrugem./ O diretor executivo do Conselho da Comunidade, José Magalhães Pinheiro, explicou como é o sistema de funcionamento da Cantina.//

Sonora – José Magalhães Pinheiro

E na luta pela reinserção dos presos na sociedade outras frentes de trabalho estão sendo lançadas ou retomadas no Ferrugem./ Uma delas faz parte do projeto Capacitar para Reintegrar que é preparação e capacitação dos reeducandos na fabricação de blocos de concreto que será desenvolvido por meio de parceria com empresa da iniciativa privada.//

O projeto Cidade Limpa utiliza a mão de obra carcerária para limpeza das vias públicas, o que também reverte em benefício de redução de pena para encarcerado./ Outra frente de trabalho lançada, nesta sexta-feira, foi os cursos de corte e costura que já começa com a capacitação de 20 reeducandos.//

O projeto Semear, que também está sendo retomado inicia com o plantio de 10 mil mudas de abacaxi e quatro mil mudas de quiabo e pimentão./ Este projeto será desenvolvido na área do entorno do presídio e vai garantir atividade para outros 10 reeducandos.//

O subdiretor da Penitenciária Ferrugem, Clemir Candelário de Olanda, explicou que a escolha dos presos que irão participar dos projetos é feita de forma bastante criteriosa.//

Sonora - Clemir Candelário de Olanda

O juiz da Vara de Execuções Penais de Sinop, João Guerra, destacou a importância da profissionalização dos reeducandos que, além de saírem mais cedo do presídio, já saem com uma profissão e muitos já com encaminhamento para o mercado de trabalho.//

O secretário-adjunto do Sistema penitenciários da Sesp, Emanoel Flores, explicou que a meta do Estado é garantir oportunidades para o maior número de reeducandos possível.//

Sonora – Emanoel Flores

Hoje o sistema carcerário de Mato Grosso conta com 55 unidades prisionais de 12.500 detentos.//

Recentes