Pular para o conteúdo
Voltar

Investimentos na Baixada Cuiabana ultrapassam R$ 6 milhões

Poconé, Cuiabá, Campo Verde, Nova Brasilândia e Chapada dos Guimarães surgem como as cidades que mais receberam recursos nos últimos 40 meses
Luciana Cury | Seaf MT

GCom-MT
A | A

Em pouco mais de 3 anos, os investimentos para ações e políticas públicas voltadas para apoio e desenvolvimento da agricultura familiar nos 14 municípios que compõem a Baixada Cuiabana ultrapassaram a marca de R$ 6 milhões. Em um levantamento feito pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf), a entrega de 698 itens ou equipamentos para uso por parte de pequenos produtores, associações e cooperativas custaram aos cofres públicos a soma de R$ 6,9 milhões. Todo esse montante de valores pertencia às emendas estaduais, federais e ao Executivo.

Poconé, Cuiabá, Campo Verde, Nova Brasilândia e Chapada dos Guimarães surgem como as cinco primeiras cidades que mais receberam recursos no setor nos últimos 40 meses. Em seguida aparecem Várzea Grande, Nobres, Nossa Senhora do Livramento, Rosário Oeste, Jangada, Planalto da Serra, Santo Antônio de Leverger, Acorizal e Barão de Melgaço.

A cidade de Poconé recebeu R$ 1,2 milhão em materiais, que resultaram na entrega de 50 barracas de feira, dois caminhões, 37 implementos agrícolas, dois resfriadores de leite e 13 tratores. Cuiabá recebeu R$ 955 mil; Campo Verde, R$ 643 mil; Nova Brasilândia, R$ 616 mil; e Chapada dos Guimarães, R$ 547 mil. As outras nove cidades receberam juntas a quantia de R$ 2,9 milhões em itens e equipamentos.

“A agricultura familiar garante boa parte da alimentação nas cidades. Cerca de 70% dos alimentos consumidos em todo país são produzidos pelo agricultor familiar. Atenta a isso, desde 2015 a Seaf sempre se preocupou em melhorar a produtividade no campo por meio de qualificação e da doação de materiais que facilitem o plantio e o transporte da produção familiar”, comenta a secretária de Agricultura Familiar, Vanessa Queiroz.

Além disso, a secretária acrescenta que a instalação de Unidades de Referência Tecnológica (URTs) em culturas já consolidadas no Estado, como arroz, leite, café, banana e piscicultura, tem ajudado não somente a desenvolver a produção dessas atividades, como também fomentado a realização de trabalhos de pesquisa e conhecimento nas unidades demonstrativas que a pasta conduz em parceria com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer).

Juntas, as 14 cidades da Baixada Cuiabana possuem 9.528 potenciais estabelecimentos da agricultura familiar, segundo o Plano Estadual de Agricultura Familiar (PEAF), de 2016. No total, Mato Grosso possui 125.840 potenciais estabelecimentos tocados por agricultores familiares.





Editorias