Pular para o conteúdo
Voltar

Planejamento divulga Caderno de Indicadores 2017

Informações sobre taxas de feminicídio, estupro e suicídio em Mato Grosso fazem parte da edição
Nayara Takahara | Seplan

Ilustração
Ilustração
A | A

A Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan-MT) torna público, nesta segunda-feira (12.03), o Caderno de Indicadores de 2017. A publicação apresenta uma análise do Estado, referente ao ano passado, com base em indicadores de desempenho relacionados aos temas: educação, saúde, segurança, infraestrutura, meio ambiente, economia e fiscal. Como novidade traz informações que expressam as taxas de feminicídio, estupro e suicídio em Mato Grosso, que também serão incluídas nas edições seguintes.

O Caderno é resultado de uma das linhas de trabalho da Coordenadoria de Métodos Estatísticos, de Pesquisa e de Indicadores (CEI), unidade vinculada à Secretaria Adjunta de Informações Socioeconômicas, Geográficas e de Indicadores da Seplan.

“O conjunto de indicadores do documento foi trabalhado de forma que pudesse mostrar a realidade do Estado, sendo que em alguns casos eles tiveram como parâmetros de comparação números de outros estados e do Brasil, possibilitando o conhecimento sobre a situação de Mato Grosso em relação à média nacional e perante outras unidades da Federação”, explica o superintendente de Estatística, Indicadores e Gestão da Informação da Seplan, Paulo Cezar de Souza.

“Um bom sistema de indicador de desempenho no setor público permite uma análise muito mais profunda e abrangente sobre a gestão pública. Além disso, permite aos órgãos e entidades públicas fazerem as intervenções necessárias à medida que ocorrem as variações entre o planejado e o realizado”, afirma o superintendente.

A publicação utiliza como fontes oficiais dados disponibilizados pelos Ministérios da Saúde e da Educação (MEC), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT), entre outros órgãos e entidades.

Confira aqui o Caderno de Indicadores 2017.





Editorias