Pular para o conteúdo
Voltar

Seplag orienta servidores sobre inventário patrimonial de encerramento de ano

Cada Secretaria de Estado tem uma comissão de Patrimônio composta por três servidores efetivos, que são responsáveis por classificar, identificar e valorar todos os bens lotados no órgão
Éverton Anunciação | Seplag-MT

O encontro foi realizado em parceria com a Controladoria Geral do Estado (CGE) e com a Secretaria de Fazenda (Sefaz) e reuniu 115 servidores - Foto por: Éverton Anunciação/Seplag-MT
O encontro foi realizado em parceria com a Controladoria Geral do Estado (CGE) e com a Secretaria de Fazenda (Sefaz) e reuniu 115 servidores
A | A

A Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) reuniu-se com representantes dos setores e entidades de Patrimônio do Executivo estadual nesta terça-feira (26.11) para orientá-los quanto à realização do inventário patrimonial de encerramento de 2019. O encontro foi realizado em parceria com a Controladoria Geral do Estado (CGE) e com a Secretaria de Fazenda (Sefaz) e reuniu 115 servidores.

Anualmente, os órgãos têm o dever de fazer o levantamento de bens móveis, imóveis e de consumo administrados pelo Estado, conforme a Lei Federal nº 4.320/64. A realização do inventário tem a finalidade de evitar gastos desnecessários, reduzir perdas, furtos e desvios dos bens da organização, bem como conhecer o tempo de vida útil e o valor do produto para o controle e conservação patrimonial.

O secretário adjunto de Patrimônio e Serviços da Seplag, Luiz Gustavo Tarraf, destacou durante a reunião o papel da pasta de instruir as coordenadorias de Patrimônio. “Nós, como órgão central, devemos orientar, normatizar e acompanhar as unidades setoriais na execução das ações que estabelecemos para a construção desse importante documento para o Executivo Estadual”.  

Cada Secretaria de Estado tem uma comissão de Patrimônio composta por três servidores efetivos, que são responsáveis por classificar, identificar e valorar todos os bens lotados no órgão. Eles têm o prazo de um ano para levantar todos os materiais e enviar as informações para registro eletrônico.

Na avaliação do coordenador de Patrimônio e Serviços da Seplag, Ronaldo Fraga, os servidores e gestores têm entendido a relevância do inventário patrimonial para a gestão pública e se preocupado em fazê-lo corretamente. Segundo ele, essa atitude “resultará em mais eficiência aos serviços prestados pelo governo”, disse. (Supervisão de texto de Nayara Takahara)





Editorias