Pular para o conteúdo
Voltar

Servidor grevista pode ser demitido se não voltar ao trabalho

Por Por Jota Passarinho/Lucas Rodrigues

Conforme orientação da PGE – Procuradoria Geral do Estado, os servidores da Educação que estão em greve há mais de dois meses, devem voltar imediatamente ao trabalho.//

A greve foi declarada ilegal pelo TJ-MT - Tribunal de Justiça de Mato Grosso, no dia 30 de julho, com a determinação para os profissionais voltarem ao trabalho em 72 horas.//

O procurador do Estado Alexandre Apolônio Callejas, enviou parecer à Seduc - Secretaria de Educação, informando que a partir do momento em que a decisão do TJ-MT passou a vigorar, os servidores grevistas tem o dever de voltar imediatamente às atividades.//

Callejas ressalta que, de acordo com a Lei, caso o  servidor não compareça ao local de trabalho e retome sua função, configura abando de cargo./ Ele  explica o que pode acontecer com o funcionário que não acatar a decisão.//

Sonora: Alexandre Apolônio Callejas

Desde o início da greve, deflagrada em 27 de maio, o Governo do Estado já atendeu a maior parte das reivindicações dos profissionais da educação como, por exemplo, o pagamento de férias proporcional aos servidores contratados, o que passa a ser garantido a partir deste ano.//




Editorias